quinta-feira, 19 de abril de 2012

O quadrado que reluzia, e aos meus olhos hipnotizava

Gerações foram e serão criadas nos braços da tevê, ela faz parte da minha educação e da sua também.
Portanto, negando ou não, uma porção poderosa do que te compõe, bom ou ruim, se deve em parte a ela.

 A minha homenagem.

A alguns anos atrás, ouvimos cientistas afirmarem, categoricamente, que não existe nada sobre a face da terra mais chamativo para os ouvidos humanos do que choro de criança. Este som, alerta nossos sentidos, desatento, para o rebento que pede socorro. Isso é natural. Isso é a natureza nos nutrindo de armas para a vida.
Porém, durante anos, bebês choraram e os pais não ouviram. Estavam ocupados demais assistindo ou discutindo questões levantadas pela tevê.
Em poucos anos, impérios ascenderam ou decaíram; Tudo palidamente noticiado pelo quadro brilhante, exposto no altar da sala, reverenciado por zumbis atentos e obedientes.
O império da tele-mãe, nunca ruirá, sólido feito rocha, inabalável... Pensando bem! Espere.
Oh! Meu Deus! Surgiu no horizonte uma inimaginável segunda opção. A internet (* Leia-se redes sociais,etc...).
Não que eu seja contra um e a favor do outro, claro que aceito o fato de que qualquer um dos dois pode agir como desagregador ou agregador do ambiente familiar, dependendo do contexto em que se insere ou do mau uso que se faça deles.
Inegável, isso sim, é a certeza de que a tecnologia quebra qualquer paradigma.



quarta-feira, 11 de abril de 2012

Homens de segunda

Relações.

Homens na segunda são tão ternos! São tão conscientes da situação de vítimas de si próprio; Capazes até de pedir perdão.
Homens na segunda, além de sêmen, cheiram a álcool e pólvora amanhecida.
Homens na segunda, se envergonham das mãos sujas de lama. Se preciso mandam flores. Até dizem:- "Eu te amo". Mas! Atitude de homem, ninguém esquece.
Homens na segunda, negligenciam a terça, a quarta, a quinta e a sexta feira para viver intensamente os dois dias seguintes...E fazer tudo de novo...Até a próxima segunda. 

terça-feira, 3 de abril de 2012

Relacionamento ( Além de você )

Desapego.
Quando o amor simplesmente não basta.

Preciso ir além de você. Preciso para viver. Preciso ter certeza que após este ponto talvez exista alguma razão que lembre EU, mesmo que pequeno, ainda que diminuto, insignificante. Deparo portanto com um ser enfraquecido e carente pela busca eterna de soluções simples, que não me exige, então novamente me sujeito a respostas suas. Sempre suas. E nunca suas respostas, as mesmas,  me acrescentam ou elevam. Voltamos de novo ao nada do começo. Estar com você é estacionar no térreo eternamente.