terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Pensamentos mundano confrontando o silêncio da alma

 Minha alma estarrecida, num silêncio mortal, necrosou, tornou-se alma de pele sem vida, gelada feito cadáver.
 Agraciado pela pena que envolve o fato, descobri. O sossego da alma é o suicídio do corpo e todo o resto;  Desejo, na verdade, é a compulsividade do inconvencional, pulsando aprisionado dentro de mim, igual a marteladas sequenciais, em um sino, me norteando para o desconhecido. Empurrando sem freios.
 Anseio pelo desconforto viscoso da lama que banha meu corpo, despreparado para o novo que apavora, redesenhando, renovando, desbravando.
 Busco a razão para me arrepender, sem ter que pedir perdão pelo impensado, rasgado ou prensado de propósito.O marasmo da alma cansada se dissipou, verdadeiramente! Agora a vida recomeça, mundana, periférica, suburbana, num ritmo frenético, surpreendente, feito erva daninha em solo fértil, igual a carros em grande metrópoles, feito gente na cochinchina ou Dollar no bolso do Bill Gates.
 É minha vida! Vida minha... Que eu a tenha! Para meu conforto egoísta e a paz dos humanos cegos que agonizam ao meu lado.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Liberdade e senzala

Ser obrigado a levantar cedo,todos os dias úteis da minha vida, me entristece.
Vestir,locomover,beber e alimentar minha família,me alegra.
Compartilhar da ideia de que só é útil os dias trabalhados,me entristece.
Nunca ter perdido a hora,me alegra.
Ser responsável pela covardia de jamais ter ousado contrariar o sistema,me entristece.
Saber da importância da companhia de amigos leais na vida,me alegra.
Encontrá-los somente em ocasiões extremas,como o velório de um ente querido por exemplo,me entristece

Questionar as facetas do comportamento, social, do homem,me faz feliz e infeliz.Nunca inteligente ou sábio!

Definitivamente a vida,social, é bipolar!Vagando vadia no extremo dos dois polos desta razão infundada.
Ou seria um jogo?Onde fazer parte disso,mais do que tudo, já é o  prêmio.