segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Várias com força!

Certos conceitos dizem: "Trocar fluidos sem compromisso, te fará um pecador. Sem tesão, te fará perder tempo."

Deitei na cama do silêncio com alguém ao meu lado, neste encontro, as carnes lascivas se chocaram descompassadas enquanto o pensamento viajava.
Não era amor, não havia sintonia, não paramos, insistimos no diferencial da opção, do prazer.
Desejei tanto naquele momento a convicção do erro ou do pecado, que redime, que torna menos denso a culpa, que partilha possibilidades, que diminui a carga da atitude.

Transportei por dias este cheiro em meu corpo.Não era amor, era vingança. Não era pecado, era culpa.
Culpa por você não me amar e ainda estarmos juntos, desfalecidos das palavras certas.Solidão a dois ainda é o pior dos abandonos.
Olhos cinzas ainda me fitam sem brilho, interrogativos, a cada manhã, num ambiente, onde a dor é mais intensa por não haver coragem suficiente para assumir o inevitável...Fim.

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Se amizade sobrevive ao tempo, quem dirá ao...

Vamos assim... Se amizade sobrevive ao tempo, quem dirá ao desejo!

Não faz muito tempo, pintou amizade verdadeira entre Augusto e Soraia, "tecedores" das redes sociais, marcaram encontro.No começo, ao se conhecerem, pensaram seriamente em se pegar, mas Augusto notou, alguns segundos antes da cantada decisiva, que Soraia era "reta pra caramba".Cadê as curvas? Desistiu.
Soraia por sua vez, nunca se imaginou beijando um cara "comunzão" que pinta o cabelo de acaju; Sendo assim, assexuadamente, a amizade pôde deslanchar e caminhar num crescente.
Entretanto relações, na sua essência, funcionam a base de troca ou nas variadas possibilidades que as pretensas trocas vislumbram. O homem é mercantilizado em qualquer esfera de convívio, inclusive neste contexto.A amizade eternizou-se por fim, repleta de zêlo e confidências rizonhas.Amigos para sempre.

Lá vem... Hei! Espere! Talvez, O "para sempre" não exista no mundo real!

Num fatídico dia de sorvete e sol, Augusto, por um milésimo de segundo apenas,se flagrou pensando nos volumosos peitos de Soraia, onde estiveram estes peitos o tempo todo... Ela, nas torneadas coxas dele.
A partir daquele instante, eles souberam que sendo apenas amigos, simplesmente coexistiriam num acordo tácito de afinidade saudosa e grata pelo encontro e a intensa convivência.O resto não podiam. Não deveriam.
Como as pernas jamais afinariam e os seios nunca seriam disfarçados, decidiram encerrar os encontros.A quem fornecer amor, eles ja tinham, e amor em excesso é libertinagem.
A intenção, definitivamente, não era amar, e ainda serem  amigos, a partir daquelas descobertas repentinas, seria simplesmente impossível.
A culpa não era deles e no choro silencioso da despedida, amaldiçoaram a natureza que na ânsia
desmedida de perpetuar a espécie, tornou amor e amizade entre pessoas de sexo oposto...Simplesmente inconcebível.Basta uma coxa ou seio e...Pum! Explode! Desdobra-se.
Antes que cada um seguisse sua vida, ainda puderam ler a pixação antiga, em um muro desbotado: "se existe desejo que motiva e empolga, porque ser apenas amigo.Se não existe desejo algum, qual a finalidade da relação?"
As cabeças permeneceram baixas, não apenas pela tristeza do momento mas, principalmente, pelas respostas que não vinham.

domingo, 15 de setembro de 2013

Que se faça um Homem

Quando falamos de criar homens...Os defeitos se perpetuam por onde a vida segue.
No começo era eu. Jovem, de tudo, eu. Individualizado, único. Autossuficiente.
Depois relacionamentos, luxos, meios de transporte caro e eu por fim.

Mulheres eu tive, tenho, dinheiro também, não o suficiente, claro, mas tenho.
Faltava o último ingrediente para uma vida comum, muito comum...A bebida.

Com a bebida, lícita, a vida passa a ter uma nova perspectiva...O vício!
O vicio nunca será vício para quem deseja o vício, mas, principalmente o efeito que o vício traz, para viver. Nunca tenha dó de alguém coerente.

Beber frequentemente com moderação é vicio!
O que necessariamente te escraviza é o efeito do "saber" sobre o caminho que o trago te fará trilhar.

Não ser igual a mim no universo de quem lê, infelizmente é exceção.
Ah! Que nunca se esqueça o trabalho nesta trama, que possibilita sermos homens íntegros, respeitados e até admirados.

Cora Coralina, disse um dia.:- "O trabalho dignifica o homem". Então digno, sigo moldando minha personalidade, focando sempre nesta única possibilidade; O álcool vai na mala pra me atormentar e lembrar, sempre, do quão humano sou. Somos!