domingo, 28 de outubro de 2012

Humildade é para os fracos...

...Todavia, poucos podem se dar ao luxo de viver o glamour da arrogância.

Viu Ani. Aninha fora a garota de seus sonhos, do sonho de todos os meninos de sua idade, no colégio.
Lembrava, que ela tinha o sorriso da lua, assim ele a chamava, em pensamento, por causa do brilho radiante que emanava de sua boca provocante, de seus dentes alvos, clareando tudo, ofuscando a luz do sol.
Ela transpunha a realidade e o conduzia para um mundo irreal,  juventude exacerbada, de cores e corpos lascivos em transformação...Quente...Quente.
Humilde, sempre caia em si.
Humilde, se situou no tempo.
Humilde, quem era ele agora.
Havia muito não se reconhecia, aliás, nunca se permitiu achar. Buscava fôlego, que trazia para o fundo do peito apenas o necessário para sustentar a vida de pé. Nunca fora homem de excessos.
Baixou a cabeça, fez que não a tinha visto. Somente assim poderia manter a continuidade de uma vida medíocre.
Ani, era importante demais para entendê-lo, com ela, seguramente, alguma coisa sairia do controle.
Sentiu à suas costas olhos de interrogação que o acompanhavam, até dobrar a esquina, até mudar o rumo, até sumir de vez.
No último encontro também foi assim.
Humilde, desapareceu.
Humilde, fugiu da possibilidade de não ter a vida sob controle.
Humilde...Ele era humilde.


quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Luz verde penetrante no ambiente ( Tema recorrente )

Dois caras vendo tevê. Bebendo a cerveja do merchandising da novela.
Cara um: Eu odeio a Rede globo de televisão.
Cara dois: Sê tá louco! É tão legal! Porque?
Cara um: Porque ela me obriga a ficar em casa todos os dias, neste sofá emburacado, vendo novelas.
Cara dois: E isso é ruim? Porque você não sai com sua esposa...Comer uma pizza, restaurante...Sei lá...Viagem, distrair.
Cara um: Sê tá louco! Comer pizza! Restaurante! Se minha mulher ouvir isso eu estou morto,ela não pode engordar, quer ficar com o corpo da Thais, da novela das nove.Quanto a viagem, só se for em uma ilha deserta, com o ator Fábio Assunção da novela das sete.
...( Silêncio ) Ninguém queria perder a novela.
...( No Intervalo ).
Cara um: ( Refletindo ) Porque será que as pessoas pedem para viver cem anos, e se entediam com um terço disso?
Cara dois: Fica quieto e assiste, com a ajuda prestativa da novela, a gente aguenta.
...( Silêncio ).

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Arfada ( Silêncio contido )

Trajado de mim, possuindo me como roupa, uma sombra pálida, escapa do lugar comum e se funde a poeira contaminada da rua parcamente iluminada.
Somente eu me percebo ali, misturado aos dejetos triturados dos cães, quase indissolúvel.
Quero desvencilhar da inglória virtude do solo. Impossível.
Então, não padeço de tristeza, angustia, dor, ódio... Destituído de qualquer sentimento destinado aos dignos; Definho envergonhado num silêncio contido, misterioso... Mortal.
Sigo...Carcamano na primeira pessoa, tentando entender a vida.