terça-feira, 11 de outubro de 2011

O ápice

O ápice do choro é a lágrima.
Do cansaço o deitar-se.
Da alegria o riso.
Da doença  a cura.

O ápice do sexo é o gozo.
Do ódio a desgraça.
Do espetáculo a palma.
Do amor o beijo

O ápice do trabalho é o salário.
Da amizade o abraço.
Da fome a saciedade.
Da fraternidade a doação.

O ápice da sede é a hidratação.
Da corrida é a chegada.
Da cobrança é o feito.
Do objetivo a realização.

O ápice da vida é a morte num questionar perturbador e quase inaceitável.

2 comentários:

Mallika disse...

Oi! Agradeço pela visita. Admirável sua fala sobre o universo. Escura feito noite sem Lua, esperançosa feito nascer do Sol.
Parabéns.

Ribeiro Filho disse...

Cara, isso é demais. Você descreve o Fim como ele tem de ser: Uma dádiva e não como,simplesmente, um mero desfecho. Parabens!