segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Um Querer

Que eu possa deslumbrar o horizonte até onde os olhos puderem enxergar e que esta visão se torne longa e limpa de poluição.Que eu não divise nenhuma barreira sólida,cerca ou muro,nem mesmo aquelas caiadas de branco,que da varanda de pilares azuis da cor do céu,eu possa sugar toneladas de ar puro e fresco como aqueles conduzido pela brisa suave da montanha virgem de minha infância de sonhos.Que eu nunca mais possa ver os ìndios,tão seguros e intocados estejam em suas florestas.Várias.Que eu permita a outros homens,de outras nações,olharem em meus olhos como irmãos de imperfeições comuns e se sintam idênticos,e a terra criança suja como deve ser,fecunda,transforme-se a todo instante em alimento carregado de dignidade e respeito de distribuição em porções iguais a todos os seus filhos.Filhos da terra.

Nenhum comentário: